31/01/2022 às 18h15min - Atualizada em 31/01/2022 às 19h10min

Polos de inteligência da mineira Mundiale operam IAs da Claro,Tim, Sky e Grupo Kroton

Com 23 equipes multidisciplinares, empresa é destaque em chatbots, plataformas omni-channel e automação de processos

SALA DA NOTÍCIA Mariana Corneta
Mundiale
Web
As tecnologias e suas ferramentas mudam mais rápido do que muitas vezes podemos acompanhar. O primeiro contato do brasileiro com os celulares, foi em 1990, o apetrecho era bem menos acessível e comum. Agora, 30 depois, é difícil encontrar alguém que não tenha um em mãos. A Mundiale, empresa mineira referência em conversational commerce e experiências digitais, usa todas as possibilidades trazidas por essa tecnologia para ajudar empresas a simplificar a relação com seus consumidores utilizando o mundo digital como seu principal aliado.

Ao todo, o setor tecnológico da Mundiale, com início em Belo Horizonte, já reúne mais de 23 equipes multidisciplinares de tecnologia responsáveis pelo desenvolvimento de chatbots, plataformas omni-channel, automação de processos e ferramentas que otimizam o atendimento humano.

“Nós contamos com squads de diferentes tipos de inteligência que utilizam a metodologia ágil como framework. Embora nossa sede seja em Minas Gerais, nossos profissionais estão em 18 estados do Brasil e temos o objetivo de chegar ainda mais longe. Para a Mundiale, essa diversidade cultural enriquece nossa experiência e contribui para conversarmos, de maneira mais certeira, com quem irá consumir nossa tecnologia”, explica Daniel Evangelista, diretor TECH da Mundiale.

As soluções criadas pela Mundiale estão presentes em empresas nacionalmente conhecidas, tais como, a Claro, C6 bank (em parceria com a Tim), Grupo Kroton, Sky e Tim.

Para prover toda a solução nossa Plataforma WIT Hub omni-channel, trabalha como o integrador de todas as ferramentas. A tecnologia proporciona uma experiência 360° fluida, garantindo a integração, performance, continudade do atendimento e automação nos canais de: voz, WhatsApp, Facebook Messenger, Instagram, Telegram e Google Messenger.

“Além da WIT Hub omni-channel, também trabalhamos com a Plataforma WIT Desk, nossa tecnologia de atendimento por voz humana e performance operacional. A expectativa é que em 2022 também esteja disponível a opção de chat. Outro destaque é o low code" WIT, plataforma para o gerenciamento de chatbots, a ferramenta é integrada com o nosso provedor de inteligência artificial, a Alê, desenvolvida dentro da Mundiale. Para a automação de processos temos o low code" WIT FORGE”, apresenta Daniel.  

A empresa, com 20 anos de atuação, viu no processo de desenvolvimento tecnológico uma forma de escalar a produtividade, flexibilizar e reduzir os custos com produção e investimento em ferramentas próprias e, essa valorização do mercado de tecnologia, sobretudo, de IA, tem sido ainda mais evidente durante a pandemia, é o que defende Daniel Evangelista.

“O desenvolvimento destas tecnologias foi potencializado durante o isolamento. Esse período tem mostrado ao mundo inteiro, de forma bastante evidente, como a tecnologia é necessária para a manutenção e crescimento das empresas, e também para atender a nova forma como os consumidores consomem. Por isso, será necessário, cada vez mais, investir e valorizar a inovação”, afirma.

Com mais demanda operacional, é necessário apostar também em mão de obra para a fomentação e manutenção do mercado nacional de tecnologia.

“O Brasil possui profissionais extremamente qualificados e produz tecnologia de ponta em diversos segmentos. No entanto, hoje, temos um desafio quando se trata de profissionais de tecnologia em Belo Horizonte. Por isso, a Mundiale sempre prioriza o desenvolvimento de oportunidades de trabalho para novos profissionais e também o incentivo à inclusão de grupos que ocupam menos espaço nesse mercado. Nós temos, por exemplo, vagas afirmativas para mulheres para estágio em Software Development e, também, oportunidade de liderança para o cargo de Tech Lead. Acreditamos no mercado de tecnologia nacional e fortalecemos também o cenário de TI mineiro”, finaliza Daniel. 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »