13/02/2022 às 12h23min - Atualizada em 14/02/2022 às 23h10min

Favela da Rocinha é o tema da Web Série do diretor Felipe Alves

“Blackout” fala sobre a Rocinha, local de origem do diretor e parte da sua reminiscência.

SALA DA NOTÍCIA Clilton Paz
Arquivo Pessoal Felipe Alves
Felipe Leopoldino Alves ou simplesmente Felipe Alves é um carioca da gema, de 30 anos. Nascido na maior favela da América Latina, a Rocinha, Felipe teve uma infância simples, mas muito maravilhosa, pois os seus pais, de origem nordestina, o deixaram ser criança. “Minha infância foi maravilhosa, meus pais sempre me deixaram ser criança”. Declara.

Em parceria com Castelo Branco, Felipe está dirigindo uma web série de nome “Blackout - facções em guerra”, que fala sobre a Rocinha, local de origem do diretor e parte da sua reminiscência. No elenco muitos nomes, destacando-se Junno Andrade e a atriz e modelo portuguesa, Regina. A produção ainda está acontecendo e a sua finalização, provavelmente acontecerá em março deste ano, para que a estreia aconteça em dezembro, sem um canal definido, pois existem negociações em andamento, com algumas emissoras.

A web série é uma narrativa da violência que ocorre na Rocinha, bem como em outras comunidades cariocas. Duas facções que entram em guerra - facção do Vidigal e facção da Rocinha. Disputa por pontos de venda de drogas, armamento bélico pesado, corrupção e a mão do crime “organizado” que ordena e manda em tudo e em todos, são temas pertinentes na narrativa de “Blackout”.

Outras questões abordadas são: a da violência nas comunidades, as vítimas inocentes que moram nestas comunidades – na maioria negros e pobres, e o descaso do governo sem uma política enérgica e eficaz contra o crime.

Como o próprio nome da série traduz, “Blackout facções em guerra” é uma narrativa nua e crua da realidade das favelas, morros e comunidades periféricas do Rio de Janeiro e quiçá do país, que tem como cenário a maior favela da América Latina, que é a Rocinha.

O roteiro é baseado na narrativa de algumas histórias reais, através do depoimento de pessoas (moradores) de ambas as favelas, como a cena da chacina que foi delineada, a partir de um episódio real.

Deixando escapar um spoiler, Felipe revela que o casting de “Blackout” já está quase todo completo, mas que já existem quatro projetos a caminho que precisarão de escolha de elenco, o que é uma oportunidade para atores que estão à procura de trabalho. Porém, acerca destes projetos, nada pode ser contado, pois ainda são confidenciais. E, pelo que tudo indica, irão até 2024.

Amante da arte da direção, Felipe só se permite dirigir, ofício que sabe fazer de melhor, pois necessita de muita paixão e paciência envolvidas, ainda que trabalhando em vários projetos, de forma intercalada. Analisa que trabalhar por trás das câmeras, dirigindo, é fascinante e maravilhoso.
Dialogando com o seu público, observa que o ofício de dirigir tem que ter a essência da disciplina, pois ser um diretor é maravilhoso e gratificante, principalmente quando se termina um produto, seja ele uma peça, programa, web série ou novela. Porém, para que tudo dê certo, às vezes precisa correr contra o tempo. Tudo é muito corrido.

Para saber mais detalhes sobre os trabalhos do diretor Felipe Alves e de como fazer parte dos seus novos projetos e trabalhos, acesse o seu Instagram: @felipealves_director
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »