15/02/2022 às 10h59min - Atualizada em 15/02/2022 às 18h13min

Os desafios e as dores do varejo físico na transformação digital

Cinco  principais dores dos varejistas físicos

SALA DA NOTÍCIA Agência Oliver Press

Os varejistas já enfrentaram grandes desafios, desde guerras, escassez de recursos e crises econômicas, e sempre conseguiram resolver suas dores e partir para novos desafios. Com a chegada da internet, o varejo se reinventou mais uma vez, tomou um grande espaço na vida online dos consumidores, venceu a barreira da desconfiança e criou uma nova forma de consumir. No entanto, algumas lojas físicas ainda pensam no e-commerce como um concorrente e não como mais um canal para se conectar com o consumidor.

Abaixo, reunimos algumas dores e desafios dos varejistas, elencadas por Marcelo Tupan, COO da Tlantic, empresa de soluções para o varejo, que esteve presente na NRF Retail's Big Show 2022, o maior e mais tradicional evento de varejo do mundo, e destino anual dos varejistas brasileiros, que aconteceu em Nova York, de forma presencial em janeiro.

Cinco  principais dores dos varejistas físicos:
 

1 - Conecte os mundos físico e digital de forma eficaz

Apesar de as compras online terem um crescimento significativo – principalmente durante a pandemia de Covid-19 –, a loja física continua sendo um canal fundamental para o varejo, que está se adaptando e se tornando mais inteligente. Entretanto, sabemos que os varejistas físicos têm grandes desafios para que continuem fortes. 

O varejo vive uma nova era, com o consumidor no centro das atenções, processos automatizados de gestão, qualidade na oferta de produtos, eficiência na cadeia logística e gestão de estoque.

Portanto, a experiência presencial do cliente deverá andar de mãos dadas com a virtual, uma vez que não são alternativas entre si, mas, sim, canais que se complementam em uma estratégia integrada. Hoje em dia, o cliente espera uma experiência completa e prática, que lhe permita, por exemplo, receber produtos em casa e devolvê-los no estabelecimento, ou encomendar um produto no site e pegá-lo na loja, no mínimo tempo possível.
 

2 - Decida com base nas previsões mais precisas

Hoje, os dados são fortes aliados e ajudam a alavancar os negócios. Por isso, é preciso investir em soluções inteligentes, usando recursos tecnológicos para, assim como no e-commerce, entender as necessidades de seus consumidores e ser assertivo nas ofertas.

Por meio da otimização dos processos e do uso inteligente dos dados, o aumento da complexidade da jornada de compra demonstra que o poder da informação é a chave para todos os negócios de sucesso no futuro. O desafio do varejista é usar os dados para saber o que vai fazer amanhã, convertendo-os em informação estratégica.
 

3 - Ter a pessoa certa, no lugar certo, na hora certa

Como é a relação dos seus colaboradores com os seus clientes? E a sua relação com os seus colaboradores? E se a satisfação do seu cliente, a motivação dos seus colaboradores e a produtividade da loja aumentassem em simultâneo?

Com algoritmos de previsão e tolerância a falhas, algumas soluções asseguram uma gestão de escalas mais eficiente, estimando as necessidades de trabalho e proporcionando uma maior flexibilidade e equilíbrio entre a vida pessoal e profissional dos seus colaboradores. Os seus avançados algoritmos indicam a visão geral de cada loja, o que permite a tomada de decisão baseada em dados reais e com visão estratégica. Seja para a gestão de 10 ou 15.000 funcionários, o processo é o mesmo: automatizado, preciso, fácil, rápido e integrado entre todas as lojas.
 

4 - Aumente a produtividade de suas operações e reduza filas de check-out 

É fundamental ter um parceiro tecnológico que entenda o negócio e que faça a diferença na gestão dos dados. Os dados são a riqueza do futuro. Além de incentivarem a eficiência e a produtividade, ajudam na redução do custo operacional e a medir o desempenho da loja. Uma estratégia baseada na análise de dados permite melhorar o estoque, preços, qualidade do trabalho dos funcionários e muito mais.

Cortar custos não é sinônimo de reduzir a equipe. Por isso, o importante é saber selecionar o que é relevante. A melhoria das soluções que entregam benefícios diretos no serviço ao cliente resulta em redução de filas, atendimento personalizado, velocidade no abastecimento de artigos nas prateleiras, menos vendas perdidas e mais rigor do estoque.
 

5 - Satisfaça os clientes com uma experiência de cliente omnicanal perfeita

Encontrar na loja física o mesmo preço visto na loja online, comprar no e-commerce e retirar no ponto de venda e buscar no aplicativo a loja que possui em estoque o produto do seu interesse são desejos naturais dos internautas, mas representam um grande desafio para os lojistas. No entanto, a grande barreira para isso é a integração dos sistemas em operação, como marketplace, plataforma de e-commerce, transportadora etc., que foram originalmente desenvolvidos para atuarem sozinhos. 

A integração dos dados em todas as plataformas é um dos trunfos do omnichannel no relacionamento da empresa com o cliente e no impulsionamento das vendas. Ela possibilita ao lojista, oferecer outros produtos que já chamaram a atenção do cliente ou que ele já comprou anteriormente, qualquer que tenha sido o canal. Pode também desenvolver ações de marketing personalizadas, estreitando o relacionamento.

 

Sobre a Tlantic:

A Tlantic é uma empresa especializada em soluções para o varejo, por meio de softwares que agilizam e facilitam as operações, a gestão da força de trabalho, as transações e comunicações avançadas do ponto de venda e o relacionamento com os consumidores. Fruto da sua história e experiência consolidada no varejo, fornece ao setor uma combinação de ferramentas, processos, metodologias e tecnologias que visam atingir a eficiência e produtividade operacional. Implementa as suas ferramentas para maximizar a transferência de conhecimento aos seus clientes, garantindo a melhor usabilidade e o maior impacto nas suas empresas.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »