18/02/2022 às 14h39min - Atualizada em 18/02/2022 às 20h02min

Gui Flowerz abraça a sorte em “Lucky Strike”

Single antecipa EP do músico e produtor paulista

SALA DA NOTÍCIA Nathália Pandeló Corrêa
Bia Souza

Reunindo referências pop, de Power Rangers ao Show de Truman, Gui Flowerz reflete sobre questões profundas na nova canção “Lucky Strike”. Segundo single e primeira música composta para o projeto solo do produtor, músico, compositor e beatmaker Gui Ferraz, conhecido por colaborar com bandas como Cigana e DSTN, a canção fala sobre aceitar que não controlamos tudo e se jogar no desconhecido.

Assista ao visualizer “Lucky Strike”: https://youtu.be/bQqmdUqQVg0

Ouça “Lucky Strike”: https://ditto.fm/lucky-strike-gui-flowerz

 

Composta um pouco antes da pandemia, “Lucky Strike” dialoga com as incertezas do tempo em que vivemos. A letra escrita originalmente em inglês acabou sendo traduzida para passar com mais clareza a mensagem de que nem tudo está ao nosso alcance mudar - e que por isso é melhor aproveitar com leveza o que o universo nos entrega.

“‘Lucky Strike’ é a música que eu tenho mais carinho, porque ela foi a primeira de todas. Isso foi lá em março de 2020, uma semana depois de termos declarado mundialmente que a gente estava prestes a viver uma coisa que eu não tinha vivido, a pandemia. Na hora que recebi essa notícia foi instantâneo - pedi emprestado as chaves pros meus pais de uma chácara que tínhamos e enchi o carro com as minhas coisas”, recorda Gui. Esse lugar veio a se transformar no que hoje é o estúdio e base da produtora Lazy Friendzzz.

“A primeira noite que passei lá essa música saiu, do começo ao fim, com vozes gravadas. Eu peguei o meu Opala e passei a outra metade da madrugada ouvindo a demo numa estrada abandonada até amanhecer. Esse momento foi muito decisivo pra mim porque foi quando eu disse sim e aceitei uma porção de coisas. A primeira delas foi de que eu não poderia controlar o mundo à minha volta e a segunda foi que eu estava disposto a cavar quem eu era até então e entender o que eu poderia fazer com isso”, completa.

A faixa se une ao primeiro single, “róliude”, um olhar de múltiplas lentes, filtros e cores sobre os acontecimentos da vida. Depois de trabalhar com nomes da cena alternativa nacional, como bona, Gui transforma as suas próprias visões em canções inéditas que flertam com o neo indie psicodélico, porém sem se restringir a rótulos. Gui Flowerz é o resultado de uma sequência de madrugadas em estúdio. 

“O projeto nasceu do meu baú de noias. Acho que quando você tem um projeto que você se dedica e dá importância demais pra ele, vem o lado bom que é ser profissa, de virar algo sólido pra vender, mas, ao mesmo tempo, rola o risco daquilo virar um engomadinho que nunca se deixa pisar fora da faixa. E quando rola isso você não deixa de fazer música, você engaveta elas, até que você percebe que tem algumas ali que se conversam e que existe um fio da meada”, reflete Gui.

Esse fio da meada ganhará forma em breve, com o lançamento do primeiro EP de Gui Flowerz. Enquanto isso, é possível ouvir “Lucky Strike” nas principais plataformas de música.

Crédito: Bia Souza



 

Ficha técnica

Música: lucky strike

EP: bem na era da comunicação // perdemo o diálogo

artista: gui flowerz

 

Ficha Técnica [ÁUDIO]:

Gravado em Limeira/SP no estúdio da Lazy Friendzzz entre 2020 e 2021

Produzido por Lazy Friendzzz

Mixado por Hugo Silva

Masterizado por Pedro Soares

 

Ficha Técnica [VÍDEO]:

Direção por Vitória Trigo e Thomas Dalfré

Edição por Rafael Souza

 

Ficha Técnica [CAPA]:

Direção de arte por Locca Studio


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »