21/02/2022 às 13h32min - Atualizada em 21/02/2022 às 17h50min

Como ter certeza ao tomar decisões?

Um ensinamento muito aceito é que se sentirmos paz, isto confirmará que estamos seguindo o caminho certo.

SALA DA NOTÍCIA Assessoria Pão Diário
paodiario.org
Kajetan Sumila
Um ensinamento muito aceito sobre a vontade de Deus declara: se sentirmos paz isto confirmará que estamos seguindo a vontade de Deus para nossas vidas. Um versículo frequentemente mal-usado em tais discussões é este: “E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações” (Colossenses 3:15 ARC). Essa passagem é usada para argumentar que o sentimento de paz prova que estamos dentro da vontade de Deus.

Alguns que usam este texto explicam que uma das traduções possíveis para a palavra “dominar” é a palavra “arbitrar”. Eles argumentam que você sabe que está dentro da vontade de Deus, porque experimenta a paz enquanto estiver dentro dos limites de Deus. Se você ultrapassa os limites divinos, o apito do árbitro celestial soa e você experimenta confusão em sua vida. De acordo com esta interpretação, você precisa literalmente deixar que a paz de Cristo domine o seu coração, determinando cada decisão em específico.

Isso parece plausível, mas a passagem não está falando sobre tomada de decisões, e Paulo não estava se referindo à paz interior.

Nos versículos anteriores ele disse: “Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou. Acima de tudo, porém, revistam-se do amor, que é o elo perfeito. Que a paz de Cristo seja o juiz em seu coração, visto que vocês foram chamados para viver em paz, como membros de um só corpo. E sejam agradecidos” (Colossenses 3:13-15).

Paulo não estava dando um roteiro para tomada de decisões. Ele estava enfatizando que a vontade de Deus é que todos vivamos em harmonia uns com os outros. Esse é o assunto. A passagem não se refere ao processo de tomada de decisões importantes na vida.

Se pensamos nisso, vemos que a paz não pode ser a prova de que estamos na vontade de Deus. Se houve alguém dentro da vontade de Deus, esse foi o nosso Senhor Jesus Cristo. Mas a Bíblia registra que, pouco antes de ser crucificado, Jesus suou muitas gotas de sangue. Com gritos fortes e lágrimas Ele pediu que, se possível, aquele cálice fosse afastado dele (Lucas 22:41-44). Naquele momento, Jesus cumpriu a vontade de Seu Pai no Céu, mas se essas fossem as marcas de um homem sentindo paz, certamente seria um estranho tipo de paz.
Observe este exemplo contrastante. Se houve alguém fora da vontade de Deus, esse foi Jonas. Deus ordenou que Jonas fosse a Nínive, que era para o norte e para o leste. Mas Jonas, o profeta relutante, imediatamente seguiu para o sul e oeste, e embarcou no navio que saía para o Mediterrâneo. Em alto-mar, surgiu uma tremenda tempestade, e os marinheiros pagãos ficaram aterrorizados.

Mas Jonas não se preocupou — estava dormindo no convés inferior do barco. Ele tinha paz, paz perfeita, no meio da tempestade. No entanto, o profeta estava completamente fora da vontade de Deus. Esses relatos de Jesus e Jonas demonstram que a paz interior não indica se estamos, ou não, na vontade de Deus. As Escrituras simplesmente não confirmam tal teoria.



SOBRE PÃO DIÁRIO

Por mais de 83 anos, somos um ministério cristão com a missão de fazer a palavra transformadora da Bíblia compreensível e acessível a todos por meio de recursos bíblicos. Contamos com 38 escritórios em todos os continentes e estamos presente em 150 países, com materiais traduzidos para 58 idiomas. Mais que um devocional, nós somos uma missão. 

Saiba mais em paodiario.org

--

Contatos da assessoria

Lana Barbosa
Tel: +55 41 99883-3494
Email: imprensa@paodiario.org
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »