21/03/2022 às 09h03min - Atualizada em 22/03/2022 às 13h52min

Como Imbituba se tornou referência no combate à covid-19

Município atingiu 90% da população vacinada enquanto Santa Catarina ainda estava em 72%

SALA DA NOTÍCIA Carla Borges Lins
www.atrecomunicacao.com.br
divulgação

Antes mesmo da confirmação dos primeiros casos de covid-19 no Brasil, em fevereiro de 2020, a Prefeitura de Imbituba já acompanhava atentamente o que se passava na China e na Europa por conta do vírus. Com visão estratégica, planejamento e participação da comunidade, o município catarinense conseguiu minimizar o impacto da pandemia na saúde dos moradores e na economia local. Imbituba bateu o índice de 90% da população vacinável com a primeira dose enquanto Santa Catarina estava ainda em 72% e a região, em 80%, destaca o relatório “A Gestão da Pandemia em Imbituba: Responsabilidade, Transparência e União para a superação da maior crise sanitária do século”,  que acaba de ser divulgado pela prefeitura. Além disso, foi o primeiro município no Estado a concluir a vacinação da população adulta. Imbituba vacinou e cumpriu a meta 13 dias antes do calendário de vacinação estadual. Ao todo, foram 73.685 doses aplicadas entre janeiro e dezembro de 2021. 

— Muito trabalho, transparência, comprometimento e parceria dos imbitubenses: esta combinação foi de fundamental importância para encararmos a crise sanitária — destaca a Secretária Municipal da Saúde, Graciela Ribeiro.

Ainda em março de 2020, Imbituba havia estabelecido um comitê de acompanhamento da pandemia, cuja prioridade foi, desde o início, salvar vidas. Dentre os 7.452 casos de covid-19 confirmados no município entre março de 2020 e dezembro de 2021, a taxa de mortalidade foi de 1,54%. 

— Sabíamos que seria impossível evitar todas as mortes. Mas, também, temos tranquilidade de afirmar que esse número teria sido muito maior se decisões difíceis como as restrições de circulação e de atividades não tivessem sido tomadas nos momentos em que o sistema de saúde chegava ao seu limite — avalia o prefeito Rosenvaldo Júnior. 

Todas as ações de enfrentamento ao coronavírus foram decididas em conjunto entre gestores públicos, profissionais das áreas envolvidas e líderes da comunidade, deixando a população a par de absolutamente tudo o que acontecia, seja no que dizia respeito a barreiras sanitárias, vacinação, atendimento de saúde, suspensão de aulas presenciais e de atividades econômicas.

 

Reforço na saúde

Um dos principais destaques de Imbituba foi a ampliação do quadro de profissionais e organização de novos serviços e estruturas para atender os pacientes com covid-19 e aqueles que tiveram sequelas pós-covid. Os trabalhadores da saúde e da assistência social alocados em funções relacionadas ao enfrentamento da pandemia receberam abonos, garantidos pela lei n. 5.313/2021, como forma de recompensar estes profissionais por sua brava atuação na linha de frente no combate ao coronavírus.

A prefeitura redobrou investimentos para a aquisição de materiais e travou uma longa batalha para conseguir 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para o Hospital São Camilo, inaugurados em 9 de setembro de 2020. Imbituba investiu R$ 713 mil na compra de equipamentos e R$ 200 mil na reforma de toda a área que receberia os leitos, enquanto o governo do Estado investiu R$ 1,2 milhão para a compra de 10 monitores e 10 ventiladores pulmonares.

Também foram reforçadas as equipes de apoio psicológico, já que o isolamento social obrigatório, o desemprego, os problemas econômicos e o medo coletivo impactaram profundamente a vida de todos e fizeram explodir na cidade os casos de problemas de saúde mental. O uso abusivo de álcool e outras drogas também contribuíram para o aumento na demanda por atendimento e no número de pedidos de internações involuntárias, compulsórias e, inclusive, de internações adolescente/infantil. Desse modo, os serviços de apoio psicossociais precisaram se reorganizar para atender aos mais vulneráveis e houve recrutamento de profissionais em férias para ampliação do atendimento psicológico. 

Com a interrupção do Programa Nacional de Controle ao Tabagismo (PNCT) em abril de 2020, o município também passou a adotar atendimentos individualizados. De janeiro de 2020 até setembro de 2021 foram realizados 93 atendimentos. Desses participantes, 31 conseguiram parar de fumar (taxa de 33,3%), fator preventivo a mais contra a covid-19, já que o tabagismo quadruplica as chances do paciente desenvolver casos mais graves da doença. 

 

Incentivo econômico

A prefeitura de Imbituba instituiu, por meio da Lei n. 5.132/2020, o Fundo Especial para o Enfrentamento da Pandemia de Covid-19. O objetivo foi assegurar o aporte financeiro para a prevenção, combate ao contágio e tratamento da população, além de captar recursos para minimizar as consequências sociais e econômicas no município. Um dos carros-chefes do plano de enfrentamento à covid-19 foram justamente os programas criados para disponibilizar crédito e oportunidades a empreendedores. Assim nasceram o “Juro Zero”, “Juro Zero Turismo”, “Cidade Empreendedora”, "Avança Imbituba", "Sala do Empreendedor" e "Imbituba mais empregos".

— A Prefeitura também disponibilizará uma sala, na nova sede da Secretaria de Turismo, para os microempresários e pequenos empresários que não têm espaço físico. Neste local, gratuito, eles poderão atender os seus clientes com agendamento. Além disso, estamos planejando ações de estímulo ao turismo e à criação de uma agenda positiva de estímulo às atividades esportivas e ao calendário de eventos do município — acrescenta o secretário de Desenvolvimento Econômico, Turístico e Portuário, Henrique Melo.

 

Apoio à população mais vulnerável

Outro braço forte das ações de enfrentamento à pandemia foram as ações de apoio à população em situação de vulnerabilidade. Com a suspensão das aulas presenciais, no início de 2020, a Secretaria de Educação em parceria com o Conselho Municipal de Alimentação Escolar e a Secretaria de Assistência Social entregaram kits de alimentação escolar para 700 alunos do município. Também foram realizadas constantemente campanhas de doação de alimentos, de itens de higiene e de agasalhos, assim como o acolhimento de pessoas em situação de rua no Ginásio de Esportes Olivar Francisco. 

 

O que a pandemia ensinou

A chegada da covid-19 exigiu adaptações rápidas e novos jeitos de lidar com as questões do município. Houve melhorias na estrutura de saúde, na prestação de serviços e na gestão pública em geral, que continuarão disponíveis à população, como a organização de protocolos para atendimento e utilização de EPIs e estruturas prontas para atendimento pós-covid, assim como a ampliação do quadro de profissionais da saúde de Imbituba. 

Também a empatia e a solidariedade da população se tornaram ainda mais evidentes com o envolvimento em campanhas como o "Quilo Solidário", parceria entre a prefeitura e a entidade Caritas, que incentivava as pessoas que iam se vacinar a doar alimentos para famílias necessitadas. 

— Este período nos fortaleceu demais enquanto equipe, profissional e pessoa. A parceria da população, empatia, trabalho e transparência foram essenciais — finaliza a secretária Graciela. 

O relatório “A Gestão da Pandemia em Imbituba: Responsabilidade, Transparência e União para a superação da maior crise sanitária do século” é resultado do projeto desenvolvido pela prefeitura de Imbituba, por SEBRAE-SC, através do programa “Cidade Empreendedora”, e pela Habitat 4.0, startup com foco em cidades inteligentes, que auxilia na gestão municipal, solucionando gargalos e problemas que possam dificultar o desenvolvimento do município, aplicando e disseminando a cultura de inovação nas cidades.

 “No Brasil, ainda somos muito incipientes na cultura de planejar, prevenir e avaliar nossas ações. Neste sentido, Imbituba se coloca na frente outra vez, ao buscar formas de autoavaliar o seu desempenho durante a pandemia e se preparar para novos eventos inesperados, além de melhor servir à população. Ficamos muito felizes com os resultados desse trabalho, que, seguramente, será referência para outros municípios país afora”, avalia Luana Réus, consultora da Habitat 4.0, que coordenou o projeto.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »