21/03/2022 às 16h25min - Atualizada em 22/03/2022 às 15h40min

Imunoterapia e vacinas são novas opções no tratamento do câncer de mama

O médico Ramon de Mello destaca pesquisas recentes e os novos métodos

SALA DA NOTÍCIA Emilly Santos
Divulgação
A imunoterapia e as vacinas abriram um novo horizonte para o tratamento do câncer de mama avançado. “Diante de um panorama preocupante, com 25% das pacientes apresentando taxa de sobrevida de cinco anos, ter novas abordagens para a doença vai contribuir para a melhoria da qualidade de vida delas”, afirma o médico oncologista Ramon Andrade de Mello, professor da disciplina de oncologia clínica do doutorado em medicina da Universidade Nove de Julho (UNINOVE), do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, e PhD em oncologia pela Universidade do Porto, Portugal.
 
O câncer de mama lidera entre as doenças que mais afetam as mulheres no mundo. Apenas em 2018, 2,1 milhões novos casos foram diagnosticados ao redor do globo. “O diagnóstico inclui os tumores que já se espalharam para outros órgãos”, explica o oncologista. As metástases mais frequentes são registradas nos ossos (67% dos casos), fígado (40,8%) e as cadeias de linfonodos axilares (30% – 50%).
 
“Os tratamentos tradicionais têm promovido poucos avanços na sobrevida e na cura da doença. Por outro lado, pesquisas com a imunoterapia para câncer de mama avançado, por meio do tratamento com células T, têm sido promissoras”, esclarece o oncologista. A técnica tem a coleta de células de defesa específicas diretamente da corrente sanguínea da paciente. Elas são levadas para o laboratório, onde há uma expansão in vitro dessas unidades. Em seguida, elas são reintroduzidas na paciente. “Ao voltarem para o organismo, essas células atacam as células cancerígenas”.
 
Em 2018, um estudo realizado com camundongos, por meio de reintrodução de células T modificadas, registrou a redução do tumor em todos os animais em até quatro semanas. “Outras pesquisas apontam que a técnica CAR-T funciona em vários tipos de tumor”, esclarece Ramon de Mello.
 
Vacinas
As terapias com vacinas em câncer de mama avançando trazem progressos em comparação com os tratamentos convencionais. Um dos estudos mostra que, em 15 anos, a taxa de recorrência dos tumores entre as pacientes vacinadas foi de 12,5%, contra 60% daquelas que receberam o tratamento convencional e uma vacina placebo. “Uma outra pesquisa também concluiu que pacientes vacinadas tiveram, em cinco anos, uma sobrevida livre da doença de 14 pontos percentuais maior do que aquelas que receberam placebo”, detalha o pesquisador.

Ramon de Mello ressalta que o diagnóstico precoce ainda é o melhor caminho para alcançar bons resultados no tratamento do câncer de mama: “Realizar os exames regulares e procurar o especialista sempre que notar alguma alteração no organismo são atitudes importantes no tratamento de qualquer tipo de câncer”.
 
Sobre Ramon Andrade de Mello
Pós-doutorado em Pesquisa Clínica no Royal Marsden NHS Foundation Trust (Inglaterra), Ramon Andrade de Mello tem doutorado (PhD) em Oncologia Molecular pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (Portugal).
 
O médico tem título de especialista em Oncologia Clínica, Ministério da Saúde de Portugal e Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO). Além disso, Ramon tem título de Fellow of the American College of Physician (EUA) e é Coordenador Nacional de Oncologia Clínica da Sociedade Brasileira de Cancerologia, membro da Royal Society of Medicine, London, UK, do Comitê Educacional de Tumores Gastrointestinal (ESMO GI Faculty) da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (European Society for Medical Oncology – ESMO), Membro do Conselho Consultivo (Advisory Board Member) da Escola Europeia de Oncologia (European School of Oncology – ESO) e ex-membro do Comitê Educacional de Tumores do Gastrointestinal Alto (mandato 2016-2019) da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (American Society of Clinical Oncology – ASCO). 

Dr. Ramon de Mello é oncologista do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, e do Centro de Diagnóstico da Unimed, em Bauru, SP.
 
Confira mais informações sobre o tema no site.

Informações para a imprensa:
Ex-Libris Comunicação Integrada - (11) 3266-6088
Edmir Nogueira – edmir@libris.com.br – (11) 98937-3503  
Marco Berringer – marcopaulo@libris.com.br 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »