22/03/2022 às 15h58min - Atualizada em 22/03/2022 às 16h30min

Cuidados ao bebê prematuro

Campanha Março Lilás

SALA DA NOTÍCIA Vérité Comunicacao
SPSP
CAMPANHA MARÇO LILÁS – ATENÇÃO AO CUIDADO DO BEBÊ PREMATURO

Existem cuidados que devem ser dirigidos especificamente ao bebê prematuro, pois há riscos que são inerentes (ou maiores) nessa população. Por isso a SPSP destacou esse tema como uma de suas campanhas
        A Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) destaca neste mês a Campanha Março Lilás, atenção ao cuidado do bebê prematuro. No Brasil, de um total de aproximadamente três milhões de nascimentos em 2019, 11,1% foram prematuros, segundo dados do DataSUS.
        
No Estado de São Paulo, a taxa é de 11,2%, portanto nascem cerca de 66 mil bebês prematuros por ano. Esses dados enfatizam a importância desse segmento de pacientes e justifica a promulgação, em 2009, do Projeto de lei nº 146, que instituiu o Dia da Atenção ao Cuidado do Bebê Prematuro, comemorado todo o dia 14 de março, no âmbito do Estado de São Paulo.
        A campanha março lilás tem o objetivo de informar e capacitar equipes médicas sobre os cuidados e desafios relacionados aos prematuros não só durante a internação, mas também durante o acompanhamento após a alta hospitalar. A ideia é intensificar, no período da campanha, a capacitação das equipes multiprofissionais, constituídas por neonatologistas, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoterapeutas, psicólogos, nutricionistas e assistentes sociais, na prestação dos cuidados especializados que o bebê prematuro e sua família necessitam.
        É importante não só melhorar as taxas de sobrevida desses pacientes, como também garantir uma qualidade de vida adequada, por isso é fundamental que haja uma assistência especializada, tanto no pós-natal imediato como também depois da alta hospitalar, munindo a família de informações sobre os principais cuidados para esses pacientes.
         “Recém-nascidos prematuros necessitam de cuidados especiais logo após o nascimento e, com muita frequência, acabam sendo internados em UTI Neonatal, necessitando de cuidados não só durante a internação como também durante o seguimento, pós alta hospitalar, enfatiza Maria Regina Bentlin, presidente do Departamento Científico de Neonatologia da SPSP, salientando que o olhar individualizado sobre suas necessidades, a integração e o envolvimento de toda equipe multiprofissional e da família na atenção ao cuidado, fazem toda a diferença na assistência e consequentemente na qualidade de vida desses pacientes.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »