23/03/2022 às 16h53min - Atualizada em 24/03/2022 às 06h23min

Aplicações do metaverso para seu negócio

SALA DA NOTÍCIA Victor
 

Vamos conversar e entender mais sobre o metaverso, entendendo porque ele está mais perto de nossa realidade do que imaginamos.

Em 2021, quando o Facebook anunciou sua meta de se tornar uma empresa de metaverso nos próximos cinco anos, começaram os questionamentos sobre esse novo termo, ainda desconhecido pelo público em geral.

Será que você sabia que esse conceito de metaverso já está sendo aplicado em diversos projetos e produtos?

Empresas do setor de realidade virtual afirmam que vivemos uma tendência à expansão e melhora tecnológica, o que auxilia tornando o metaverso mais realista e expande fronteiras de mercado.

Podendo se aplicar aos mais diversos campos, inclusive, uma empresa de medicina do trabalho pode se beneficiar do conceito do metaverso.

O que é o metaverso?

Metaverso é um termo que surgiu na década de 1980, a partir da literatura cyberpunk, em um livro chamado “Snow Crash”.

A ideia está relacionada à possibilidade de se acessar uma realidade paralela ficcional na qual um usuário pode ter uma experiência completa de imersão.

Ainda que o metaverso não se trate de algo real, é buscado passar essa sensação de realidade, com toda uma estrutura para isso. Seguindo essa ideia de imersão, os videogames proporcionam uma série de possibilidades de metaversos.

O nível de imersão que cada jogo proporciona, define o grau de metaverso existente, pontuado pela capacidade de passar realismo durante a experiência do usuário.

A questão é que ainda hoje a tecnologia é um dos pontos que pode ser considerado um fator que limita a capacidade de realismo.

Desde a popularização da internet na década de 1990, já existiam as primeiras tecnologias que permitiriam o metaverso, como espaços 3D e realidade virtual.

O Second Life foi um jogo que marcou o começo do século 21, com muitas empresas investindo para estar nele, como uma empresa de topografia. Mas essa primeira experiência não emplacou e podemos citar algumas razões para isso ter acontecido.

Havia uma limitação tecnológica em relação a capacidade de processamento, uma vez que a conexão da internet era bem mais lenta.

Outra questão foi a expansão das redes sociais que eram suficientemente interessantes para a criação de identidades em redes como Facebook e Instagram.

O metaverso já existe a muito tempo em jogos de videogames, mas até então se limitavam a isso porque as pessoas não viam necessidade.

Mas o que vemos agora são empresas gigantes da tecnologia como o Facebook e a Microsoft, que mudaram o cenário ao começar a investir no metaverso e em realidade virtual.

Com os novos avanços tecnológicos que atingem os mais variados segmentos da economia, como uma empresa de segurança do trabalho, a aposta é no barateamento de tecnologias e aparelhos de realidade virtual.

Espera-se dessa forma que a ideia do metaverso atinja um público maior, que terá acesso a um alto grau de realismo com bons gráficos. Nessas novas realidades que atraem as pessoas é possível desenvolvolver uma série de ações, tais como:

  • Criar avatares;
  • Interagir com amigos;
  • Fazer comprar;
  • Ter reuniões sociais;
  • Até mesmo ir ao trabalho ou à escola.

O Facebook, por exemplo, comprou a Oculus, uma empresa que produz óculos de realidade virtual. Por enquanto, essas empresas tentam arrumar o patamar tecnológico atual para propiciar que o metaverso vá além de eventos e games.

As empresas brasileiras e a expansão do metaverso

As empresas brasileiras dos mais diversos segmentos, como uma empresa de armazenamento, percebem o metaverso com otimismo. Para empresas da área da realidade virtual, essa expansão é ainda mais esperada há um bom tempo. 

De forma geral, até pouco tempo atrás o mercado não se mostrava maduro e pronto para adquirir os equipamentos necessários. A grande mudança trazida pelo Facebook foi a nova visão do metaverso como um serviço, e não como entretenimento.

Existem oportunidades em diversas frentes como educação, aprendizado, e-commerce e também para o consumo.

Caso o Facebook realmente consiga atingir sua meta e se tornar uma empresa de metaverso, isso vai gerar uma corrida entre as demais empresas para estarem também presentes nesse ambiente.

É estimado que no Brasil ocorra um atraso de cerca de dois anos em relação aos Estados Unidos para a popularização da tecnologia.

A ideia é que no princípio as novas tecnologias de realidade virtual tenham como foco as empresas, bem como eventos, treinamentos, reuniões e trabalhos remotos.

Com o passar do tempo, existe uma tendência de que a tecnologia se torne mais barata, despertando mais atenção do público em geral, e possibilitando uma nova expansão nesse segundo momento.

Uma grande aposta em relação à realidade virtual é o chamado cardboard, que se trata de uma caixa de papelão em que se coloca o celular para transmitir a experiência da realidade virtual, com um baixo custo.

Até mesmo empresas de estrutura metalica predio têm muito a se beneficiar da tecnologia propiciada pelos avanços da realidade virtual.

Uma aposta é a criação de ambientes imersivos que podem ser acessados tanto de um óculos de realidade virtual, quanto de um celular, tablet ou computador.

Em um projeto que mistura o metaverso com a gamificação, são criadas novas possibilidades. A ideia é que a novidade atinja a todos, mesmo o público que não consegue comprar um óculos de realidade virtual.

O conceito de metaverso se encontra muito ligado aos óculos, mas devido aos custos, as empresas estão adotando um conceito que não se atenha tanto a essa peça.

Para os mais diversos negócios, como uma assessoria contábil, será interessante pois o metaverso pretende trabalhar com a integração de projetos e ferramentas que já existem.

Em relação à produção de conteúdo já temos muitas empresas desenvolvendo o próprio metaverso. Nesse sentido, o Facebook desenvolve um projeto de ensino virtual, que replica o ambiente escolar combinando com o metaverso.

Empresas de jogos e games têm motivos para ver esse mercado com otimismo, pois já estão inseridas nesse meio de realidade virtual e aumentada.

O jogo por si só já é um metaverso, e o aumento da qualidade dos serviços bem como o barateamento de produtos e tecnologias, só traz mais benefícios.

Essa melhora tecnológica, que permite o aumento da qualidade dos produtos, permite também que se atinja novos públicos. Podemos citar aqui jogos como o Roblox e o Fortnite em que já foram realizados até mesmo shows de cantores dentro do jogo.

As novidades irão além dessa possibilidade de interação e imersão em ambientes virtuais, com uma evolução direcionada para a realidade virtual.

Hoje o setor já teve um grande salto, já apresentando custos mais baratos, portabilidade e cada vez mais melhorias na qualidade dos gráficos. A tendência é que isso continue por esse caminho.

A tendência é que cada vez mais atividades cotidianas e questões do dia a dia, como laje eps preço, possam ser solucionadas com a tecnologia da realidade virtual.

O fato é que apesar do bom cenário que se apresenta, existe uma barreira projetada por se tratar de uma nova mídia. É algo novo que se coloca para que as pessoas experimentem e, dessa forma, possam conhecer o potencial dessas novas tecnologias.

Quais os desafios para a expansão dessa ideia em nosso país?

No Brasil, a principal dificuldade para se atingir um público maior, é o preço elevado dos dispositivos de realidade virtual. A tendência é que de forma totalmente natural, essa tecnologia se torne comum como os smartphones.

Há um esforço em conjunto de grandes empresas da tecnologia e empresas que fornecem serviços como curso de aviação civil, para transformar a realidade virtual em algo mais acessível.

O setor já vê um potencial mercado que se mostra pronto para contribuir com o desenvolvimento desse novo ecossistema no Brasil. É fato que ainda existem uma série de desafios a serem superados, e isso também precisa ser considerado.

Como ainda não atingimos um nível mais avançado, mantemos a capacidade de processamento de um celular, o que torna o gráfico não tão realista. Um grande avanço nesse sentido é a chegada da tecnologia 5G em todo o país, ampliando horizontes.

Para a realidade virtual poder reproduzir o metaverso sem que haja choque com a realidade, é preciso de uma capacidade de processamento grande, propiciando gráficos mais realistas.

Existem grandes expectativas e a projeção de possíveis novidades para os próximos 5 anos, seja no Brasil ou no mundo.

Considerações finais

Nesse artigo você viu as aplicações e a projeção do metaverso para as várias possibilidades de negócio. A principal tendência é o barateamento de tecnologias de realidade virtual que permitirão que o metaverso chegue a todas as pessoas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »