24/03/2022 às 12h58min - Atualizada em 24/03/2022 às 13h02min

Na contramão da inovação, empresas de Rio Preto decidem não aceitar pagamento por Pix

Entre os problemas relacionados ao sistema de pagamento instantâneo estão casos de golpes praticados pelos consumidores que agendam o pagamento, mas depois cancelam a transferência.

Harley Pacola
Divulgação
Na contramão da inovação tecnológica, empresas e empreendedores de Rio Preto estão se recusando a aceitar pagamentos por meio do serviço criado pelo Banco Central (BC) do Brasil. O motivo está no prejuízo causado no caixa das empresas por conta das falhas no sistema bancário e golpes praticados por consumidores mal intencionados.

Entre os problemas relacionados ao sistema de pagamento instantâneo estão casos de golpes praticados pelos consumidores que agendam o pagamento, mas depois cancelam a transferência. 
Lançado em novembro de 2020, o Banco Central (BC) informou que o serviço está mais seguro com recentes evoluções. Desde o final do ano passado, duas ferramentas foram incluídas ao serviço: o Bloqueio Cautelar e o Mecanismo Especial de Devolução. Segundo o BC, essas alternativas proporcionam aos usuários maiores chances de recuperar o dinheiro em caso de fraude.

No entanto, os comerciantes ainda precisam ficar atentos com alguns detalhes para não serem lesados. É que entre um dos serviços do Pix está a possibilidade de agendar o pagamento, o que pode dar a falsa sensação de que a transferência foi feita.

Ao agendar o Pix o pagador consegue compartilhar o extrato da transferência, mas com a data de depósito futura. Por meio de nota, a assessoria de imprensa do BC confirmou que o agendamento no Pix é similar ao agendamento de uma transferência para uma mesma instituição ou de uma TED, “podendo ser cancelada pelo pagador antes de sua liquidação”
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »