29/03/2022 às 16h28min - Atualizada em 30/03/2022 às 21h01min

Entenda a relação entre peso corporal, saúde e objetivos fitness

Em campanha do Mês da Mulher, Freeletics convida especialista para desmistificar conceitos da balança e de uma rotina saudável

SALA DA NOTÍCIA Redação
 

O Freeletics, aplicativo líder em exercícios físicos e estilo de vida com uso de inteligência artificial, elaborou uma campanha direcionada ao Mês da Mulher, que conta com conteúdos, desafios e treinos exclusivos em março. Um dos temas presentes na ação especial que a plataforma pretende desmistificar é a relação entre o peso corporal, saúde e os objetivos fitness.

 

De acordo com a médica convidada para a ação, Dra. Sayyada Mawji, atualmente, as mulheres são constantemente bombardeadas pelas redes sociais com imagens de modelos e influenciadoras perfeitamente magras, que seguem dietas da moda com a falsa promessa de ajudar a emagrecer de forma rápida. “Isso pode ser extremamente prejudicial, seja para a forma física como para o bem-estar no geral, pois cria uma ilusão de que ter menos quilos significa ser mais saudável. Além disso, há uma associação dessa lógica com o dia a dia de treinos”, ressalta.

 

Diante deste cenário, o Freeletics explica como os indicadores saudáveis se relacionam, de fato, com o peso e a uma rotina de exercícios sustentável e duradoura. Confira:

 

Peso corporal

Na história recente, ser magro e estar dentro de uma faixa do índice de massa corporal (IMC, cálculo que usa o peso e altura do indivíduo para descobrir se ele se enquadra na categoria de "peso saudável") tem sido visto como um sinal de boa saúde, ao passo que o excesso de peso é imediatamente associado a comportamentos não saudáveis e a doenças. Segundo a Dra. Sayyada Mawji, esse raciocínio não é exatamente correto.

 

"O IMC pode ser útil em determinados contextos, mas há outros aspectos a serem analisados. Você pode ter um IMC normal e não ser saudável, ou então pode ter um IMC ‘alto’, mas ser saudável", diz a médica. "O índice não leva em conta, por exemplo, diferenças de gênero ou etnia. No caso de uma doença como a obesidade também não se é considerado o que compõe o peso, fator de extrema importância para ser verificado", completa.

 

Indicadores de saúde

De forma geral, o peso corporal e o IMC não são bons indicadores de saúde, por deixarem em aberto alguns pontos importantes e até mesmo criarem possíveis estereótipos visuais. Nesse sentido, métricas menos visíveis são mais relevantes, como pressão arterial (o ideal é estar entre90/60mmHg e 120/80mmHg), níveis de colesterol (com foco em ter LDL baixo e HDL alto) ou o açúcar no sangue.

 

Esses quesitos também tornam a genética um ponto a ser levado em consideração, afinal, pode influenciar em vários deles. "Quando há um histórico de doenças familiares, consultar um médico é essencial. O próprio condicionamento físico pode vir a ser mais necessário nessa situação", afirma Sayyada.

 

Objetivos fitness

Ter objetivos relacionados à atividade física regular está mais ligado a benefícios para a saúde do que ter uma hiperfixação em se medir e pesar. Os exercícios reduzem o risco de ataque cardíaco, diabetes tipo 2, alguns tipos de câncer e afetam a saúde mental, o que nos deixa mais felizes e com mais energia, além de melhorarem o humor e o sono.

 

Sayyada também destaca a importância de metas fitness para as mulheres. "A densidade óssea diminui na pós-menopausa e tende a tornar os ossos mais finos e frágeis (osteopenia ou osteoporose). Exercícios ajudam a manter os ossos fortes, ao mesmo tempo em que garantem um bom suporte para os músculos e tendões, ajudando a evitar fraturas", finaliza a médica.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »