13/05/2022 às 11h50min - Atualizada em 13/05/2022 às 20h52min

Educação financeira na prática: como aplicar conhecimentos na rotina

Uma boa educação financeira vai garantir que você tenha conforto no orçamento e dinheiro para quando precisar.

SALA DA NOTÍCIA Victor

Ter uma boa educação financeira é algo que pode trazer conforto e bem-estar. Porque, com ela, você terá controle do orçamento, então, as dores de cabeça por causa de dinheiro serão menores.

Ao mesmo tempo, é algo que favorece a realização de metas e sonhos. Tanto os objetivos menores, quanto aquelas compras maiores.

A seguir, contamos tudo que você precisa saber sobre educação financeira. Acompanhe!

O que é educação financeira?

“Educação financeira” são práticas com as quais o indivíduo pode cuidar do seu orçamento e alcançar diferentes objetivos. 

Pode ser economizar, poupar, sair das dívidas, comprar bens e por aí vai. A educação financeira inclui planejamento e sabendo o que fazer com o seu dinheiro, esse plano se torna mais simples.

Como aplicá-la no dia a dia de forma simples?

Cuidar das finanças pode parecer difícil, mas é apenas uma tarefa que requer alguns cuidados. Listamos logo abaixo o que você precisa fazer. Continue lendo!

Anote todos os seus gastos

É fundamental ter controle do quanto você gasta. Incluindo as contas rotineiras, como de água, até suas compras na padaria.

Todo o dinheiro que sai do seu bolso precisa ser anotado. Mesmo os valores mais baixos que você trataria como insignificantes para o orçamento.

Na verdade, de pequeno gasto em pequeno gasto, o montante se torna bem grande, não é mesmo? Por isso, é essencial cuidar para não perder o controle das compras e comprometer sua renda.

Você pode fazer suas anotações de várias formas. Em um caderno físico, no bloco de notas do celular, em uma planilha etc. O importante será não esquecer de nada e manter tudo organizado. 

Assim, você terá mais controle dos gastos, pois vai poder acompanhá-los ao longo do mês e saber quando parar. Além disso, será mais simples fechar o orçamento, sabendo onde o dinheiro foi parar e o que poderia ter sido economizado.

Trace objetivos simples

Claro que você pode ter grandes objetivos, como o de comprar um imóvel. Mas o ideal é traçar metas possíveis para a sua realidade financeira. Assim, será mais simples trabalhar por eles.

Por exemplo: você quer comprar um imóvel, e sabe que precisará oferecer uma entrada no financiamento. Então, você pode traçar como objetivo a economia de X valor todo mês. Esse valor será acumulado para a compra da sua tão sonhada casa própria.

O objetivo final será o mesmo. Mas dizer que você quer comprar um imóvel é algo grande demais, e vago demais. Enquanto que dizer que você quer poupar determinado valor todo mês é mais “palpável”, parece mais possível. Então, será mais simples trabalhar por isso.

Viva com menos do que ganha

A realidade é que gastar menos do que ganha pode ser bem difícil. Principalmente se você tem baixa renda. Mas vale a pena avaliar de perto as suas finanças e entender se você pode ou não economizar.

Pode ser, por exemplo, que você more perto de casa. Não seria possível ir a pé, ao invés de usar o transporte público. Ou então, você não conhece alguém que poderia lhe dar uma carona e cobrar menos do que a passagem de ônibus?

Avaliando as possibilidades, você pode encontrar alternativas que vão te ajudar a controlar as finanças.

Além disso, tenha cuidado com os gastos supérfluos, mesmo que eles pareçam pequenos. Tomar café na padaria todos os dias é mesmo necessário? Você não economizaria se comesse em casa?

Busque desafios financeiros

Que tal se desafiar? Você pode criar projetos que estimulem a economia e a criar hábitos financeiros. Podem ser metas de economia semanal, por exemplo. Se você estabelecer uma meta, em vez de deixá-la a esmo, vai se sentir mais impelido a cumpri-la.

Também existem desafios populares que você pode aderir. Como o Desafio das 52 semanas, que estabelece metas de economia para você fazer neste período. Há ainda o Desafio do closet, que prevê um tempo sem compras e o uso sustentável das roupas que você já tem.

Planejamento permanece essencial

O planejamento é mais do que fundamental para cuidar das finanças. É por meio dele que você vai definir onde quer chegar, e também como fazer isso.

Para começar seu planejamento, entenda o quanto você ganha e o quanto gasta. Então, a partir daí, você poderá seguir as etapas que listamos antes.

A dica é manter tudo anotado e criar metas possíveis. Assim, será mais simples executar todas as ações necessárias para você chegar onde deseja com seu orçamento.

Na hora de cuidar da sua vida financeira, uma dica importante é organizá-la primeiro. Isso significa ter controle das contas e, de preferência, não ter dívidas em aberto.

Aliás, se suas dívidas forem caras, pode valer a pena “trocá-las”. Ou seja, você pode obter um empréstimo, pagar o débito em aberto, e então ficar só com as parcelas do empréstimo para pagar.

É algo interessante, inclusive, quando existem vários débitos em aberto. Se você unificá-los, poderá ser mais fácil cuidar do orçamento.

Mas claro, lembre-se que o empréstimo será uma nova dívida. Então, será importante pensar bem nesse gasto. 

Para encontrar uma boa oferta de crédito e entender se é a melhor escolha, você pode usar um simulador de empréstimo. A ferramenta vai apresentar várias ofertas de crédito na tela, de forma online, para que seja mais simples compará-las.

Considerações finais

Sem dúvida, o planejamento é a palavra-chave de um bom orçamento. Assim como organização. Mas esses não são os únicos cuidados que você vai precisar ter com as finanças.

Na verdade, também é preciso se dedicar e ter resiliência. Porque, muitas vezes, o desejo de gastar mais do que você deveria vai aparecer. Você também vai passar por imprevistos, e pode acontecer de ficar sem renda fixa, por exemplo.

Significa que seu planejamento financeiro será mutável e precisará se adaptar ao longo do tempo. O importante será manter sua meta em mente e sempre trabalhar por ela. Mas sem se privar e prejudicar seu bem-estar, para alcançá-la a qualquer custo.

Lembre-se disso! Seu orçamento precisa ser um meio para seu conforto e a realização dos seus sonhos. Não algo limitante, que trará mal-estar.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »