29/05/2022 às 14h52min - Atualizada em 31/05/2022 às 17h20min

Como investir em Criptomoedas

Descubra 11 alternativas ao Bitcoin para você investir!

SALA DA NOTÍCIA Wellington dos Santos Silva
O Bitcoin é a primeira coisa que vem à cabeça quando as pessoas falam sobre criptomoedas, mas existem outras milhares de opções quando se trata dessas moedas digitais. 

Na verdade, criptos que não são Bitcoin normalmente são chamadas de altcoins, ou alternativas ao Bitcoin.

Embora o Bitcoin possa ter sido a primeira grande criptomoeda a chegar ao mercado, estreando em 2009, muitas outras se tornaram altamente populares, mesmo que não tão grandes quanto a original.

Aqui está uma lista com as maiores criptomoedas que podem ser excelentes alternativas ao BTC, de acordo com o valor de mercado delas.
1. Ethereum (ETH)
Ethereum é o segundo nome que provavelmente vem à sua cabeça quando se trata de cripto.

O sistema permite que você utilize a criptomoeda para executar diversas funções, isso contribui para torná-lo uma moeda cada vez mais popular.
3. Tether (USDT)
O Tether geralmente atua como um meio quando os traders passam de uma criptomoeda para outra. Em vez de voltar para dólares, eles usam Tether. 

No entanto, algumas pessoas estão preocupadas com o fato de o Tether não ser garantido com segurança por dólares mantidos em reserva, mas, em vez disso, usar uma forma de dívida não garantida de curto prazo.
4. Binance Coin (BNB)
A Binance Coin é uma criptomoeda emitida pela Binance, que é uma das maiores exchanges de criptomoedas do mundo. 

Embora originalmente tenha sido criada como um token para pagar por negociações com desconto, o Binance Coin agora pode ser usado para pagamentos, bem como para a compra de vários bens e serviços.
5. USD Coin (USDC)
Assim como o Tether, o USD Coin também é um stablecoin (moeda estável) atrelado ao dólar, o que significa que seu valor não deve flutuar.

Os fundadores da moeda dizem que ela é lastreada em ativos totalmente reservados ou com valor justo equivalente e esses ativos são mantidos em contas com instituições regulamentadas dos EUA.
6. XRP (XRP)
Criado em 2012 e anteriormente conhecido como Ripple, o XRP oferece uma maneira de pagar em muitas moedas diferentes do mundo real.

Ela é bastante utilizada em transações dentro e fora do país, utilizando um mecanismo de confiança que  facilita os pagamentos.
7. Solana (SOL)
A Solana é a moeda digital mais nova do mercado até o momento. Ela foi lançada em março de 2020, entretanto, a emissão da cripto Solana é limitada a somente 480 mi de moedas.
8. Terra (LUNA)
O Terra é uma plataforma que ajuda a apoiar uma série de stablecoins baseadas em moedas reais, como dólar ou euro.

O Terra ajuda a estabilizar o preço das stablecoins por meio de vários meios técnicos e também suporta contratos inteligentes.
9. Cardano (ADA)
Cardano é a plataforma de criptomoedas que executa o blockchain.

Criada pelo co-fundador da Ethereum em 2017, o Cardano também utiliza contratos inteligentes, possibilitando o gerenciamento de identidades.
10. Avalanche (AVAX)
Avalanche é uma plataforma blockchain mais rápida e de baixo custo. Ela é focada na construção de aplicativos que facilitem a criação de blockchains personalizados.
11. Polkadot (DOT)
O Polkadot é uma criptomoeda criada com o objetivo de conectar o blockchain com outras moedas digitais. 
Ela foi lançada em maio de 2020 e alguns analistas do mercado cripto acreditam que a Polkadot está tentando destronar a Ethereum.
12. Dogecoin (DOGE)
O dogecoin foi criado como um meme depois do aparecimento do bitcoin, a diferença dele é que é uma moeda com emissão ilimitada e ao longo do tempo passou a ser usada para pagamentos e envio de dinheiro.
Conclusão 
O mercado de criptomoedas ainda é pouco explorado e está longe de ser regulamentado no Brasil, então aqueles que especulam nesses ativos digitais não devem investir mais dinheiro do que podem perder.

A volatilidade das criptomoedas é bem intensa, chegando a superar ativos de renda variável mais conhecidos, como ações e fundos imobiliários. 
Além do mais, criptomoedas oferecem risco semelhante ao day trade e do mercado de opções binárias.

Tudo isso acaba se tornando um empecilho para iniciantes neste mercado promissor.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »