05/08/2022 às 10h33min - Atualizada em 05/08/2022 às 20h01min

Grupo implementar o procedimento de marcação de leucócitos na rotina da RPH Central Pharma

Exame de cintilografia com esta técnica já é realizado no Brasil para diagnósticos de infecções e inflamações

SALA DA NOTÍCIA Nora Ferreira
http://www.gruporph.com.br/rph-central-pharma/#central-pharma
Divulgação
Com o objetivo de facilitar o acesso dos clientes ao que há de mais moderno na área de medicina diagnóstica, o Grupo RPH, referência em Radiofarmácia no Brasil, implementou o procedimento de marcação de leucócitos ou glóbulos brancos, que são as células que agem na defesa do organismo para combater alergias e infecções.  
O exame de cintilografia com leucócitos marcados é considerado padrão-ouro no diagnóstico por imagem de infecção ou inflamação em Medicina Nuclear, com um nível de sensibilidade e especificidade que varia entre 95% e 100%. 

A técnica é utilizada na avaliação de focos suspeitos de inflamação ou infecção aguda, e na detecção e acompanhamento de infecções musculoesqueléticas, como a artrite séptica – infecção no líquido e tecidos de uma articulação, causada por bactérias, vírus ou fungos – e a osteomielite – inflamação e destruição óssea causada por bactéria, microbactéria ou fungo.

A possibilidade de os pacientes fazerem esse procedimento, através da operação de uma Radiofarmácia Centralizada, facilita a realização do método, garantido segurança, rastreabilidade e Boas Práticas de Manipulação.   Uma vez que não será mais preciso que o Serviço de Medicina Nuclear tenha a infraestrutura necessária para a respectiva marcação como:  capela de fluxo laminar blindada, centrífuga, microscópio, entre outros.

Como é feito o exame?
O procedimento é feito por meio da coleta de sangue total do paciente no Serviço de Medicina Nuclear e, em laboratório, os leucócitos são separados e marcados usando o radiofármaco 99mTc-HMPAO.
Após a marcação são realizados controles de qualidade de acordo com protocolos internacionais.  A partir daí os leucócitos já marcados são   dispensados para administração no paciente. Depois de algumas horas,  o paciente realiza a aquisição de imagens em equipamento específico, a gama câmara.

A RPH Central Pharma tem unidades em São Paulo (Rua Maestro Cardim, 769. Bloco V. 3ª Garagem – Bela Vista) e no Rio de Janeiro (Rua Gal. Cornélio de Barros, 10 – Botafogo).

Sobre o Grupo RPH
Referência em Radiofarmárcia e Medicina Nuclear há 20 anos, o Grupo RPH é uma empresa pertencente ao GSH CORP e tem o propósito de oferecer ao mercado as mais avançadas soluções em radiofarmácia, tornando possível a médicos, clínicas e hospitais, no que tange à Medicina Nuclear, o acesso a soluções que tornam tratamentos e diagnósticos por imagem mais ágeis, precisos e seguros. Opera por meio de três unidades de negócio: RPH Pharma (Indústria farmacêutica responsável pela produção e comercialização de reagentes liofilizados para uso em Medicina Nuclear – radiofármacos ou Cold Kits), RPH Central Pharma (A primeira rede de Radiofarmácias Centralizadas do Brasil e a RPH Serviços (Promove treinamentos nas áreas de Radiofarmácia Hospitalar, Centralizada e Industrial na América Latina, promovendo novas tecnologias, implantando Boas Práticas de Manipulação e a adequação de Serviços de Medicina Nuclear à legislação vigente). Para saber mais acesse aqui: http://www.gruporph.com.br
 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »