04/08/2022 às 12h15min - Atualizada em 06/08/2022 às 00h01min

05 motivos para aderir ao cultivo de microverdes

Mais “jovens” e com um cultivo menos burocrático, entenda as vantagens dessa nova tendência na horticultura

SALA DA NOTÍCIA Érica Brito Silva
Divulgação
Os Microverdes, ou “microgreens”, surgiram na Califórnia, Estados Unidos na primeira década do século XX e tem conquistado cada vez mais espaço pelo mundo todo. A técnica de cultivo é uma forte tendência para os adeptos da “horta em casa”, com os vegetais sendo cultivados em um tempo menor e ficando prontos para o consumo mesmo sendo ainda jovens. A prática que inclui várias espécies que vão desde os vegetais folhosos como a alface, a rúcula, o agrião, até hortaliças como beterraba, rabanete, cenoura, é desenvolvida a partir de sementes específicas para esse tipo de cultivo. 

Além de ser visualmente atrativo, chamando atenção inclusive das crianças, os microverdes ainda trazem uma série de vantagens em relação ao cultivo tradicional das hortaliças. No mercado gourmet inclusive, eles costumam se destacar pois tanto o sabor, quanto o apelo visual, fazem com que sejam um ingrediente para compor pratos que vão desde saladas, a sopas e sanduíches. 

É por essas e outras que a aposta no cultivo de microverde tem sido cada vez mais frequentes.  E para quem ainda não se convenceu se vale a pena aderir a essa tendência, aqui estão alguns motivos:

1º Motivo: Tempo
Todo o processo desde o plantio, até a germinação e a colheita, consome um tempo bem menor do que o que seria necessário para cultivar uma hortaliça de forma tradicional. Geralmente os microverdes já estão prontos para serem colhidos entre 7 e 21 dias após a germinação com as plantinhas atingindo um tamanho em média de 6 a 8 cm. 

2º Motivo: Espaço
Para cultivá-los não é necessário dispor de um grande espaço, mesmo para aqueles que moram em locais sem quintal ou apartamentos, é possível aderir a prática facilmente. Até mesmo os recipientes para o plantio, facilitam nesta questão, podendo ser uma bandejinha de plástico ou um pote reaproveitado. 

3º Motivo: Sabor
Tanto o sabor, quanto a textura dos microverdes, podem ser ainda mais agradáveis ao paladar. Além disso, vale ressaltar que pesquisas apontam que o seu valor nutricional também é superior aos das hortaliças convencionais e eles são ricos em fibras, ajudando a aumentar a saciedade.

4º Motivo: Aparência
As “mini hortaliças”, acabam tendo um apelo visual ainda maior pelo tamanho em miniatura que parece deixá-las mais “bonitinhas”. Além disso, dependendo da espécie, elas também podem ser coloridas, como é o caso das folhinhas de beterraba, o que torna os microverdes ainda mais atrativos. 
 
5º Motivo: Praticidade
Não é uma prática que exige muitos insumos, seja para quem quer cultivar para consumo próprio ou investir em um novo negócio. Até mesmo a forma de comercializá-lo ou consumi-lo se apresenta de uma maneira prática, podendo por exemplo, ser oferecido na própria bandeja onde foi cultivado.

O Cultivo na Prática
Apesar dos microverde ser uma vertente da horticultura, vale reforçar que trata-se de um cultivo que tem suas particularidades. O engenheiro agrônomo da Forth Jardim, Marcos Feliciano, inclusive chama atenção para um teste realizado por universitários, utilizando dois produtos da marca, que tiveram um resultado interessante. 

“Foi realizado um teste com dois fertilizantes orgânicos do portfólio da Forth Jardim, sendo um específico para hortaliças e outro para temperos, onde as sementes de microverdes foram expostas as mesmas condições de local, temperatura, rega, etc. A única diferença foi que que em uma das bandejas utilizou-se o fertilizante de hortaliças e na outra o de temperos, esse teste inclusive foi feito com mais de uma espécie: rabanete, repolho roxo, couve, manjericão. E ao final foi possível concluir, que o fertilizante de temperos mostrou-se mais eficiente para cultivá-los apresentando um aumento considerável na quantidade do que foi produzida”, explica o agrônomo.

E para quem acha que é difícil ou necessário utilizar técnicas de manejo e produtos muitos específicos para cultivar microverdes em casa, o engenheiro agrônomo da Forth Jardim, Marcos Feliciano, desmitifica isso. E explica o passo a passo: 

- Escolha um substrato de boa qualidade;
-Plante as sementes por cima do substrato;
-Borrife água para umedecer o substrato;
-Deixe no escuro até as sementes germinarem e começarem a crescer (o tempo pode variar de acordo com a espécie);
- Durante esse período regue o substrato apenas com água pura, sem fertilizante;
- Use um pulverizador para regar os microverdes, regue sempre que o substrato começar a secar;
-Após esse período, coloque-o em um local com boa iluminação e a partir de então pode fazer adubação;
- Você pode adubar o substrato com Forth Temperos na diluição de 1ml por cada litro de água;
- Todas as regas podem ser feitas com água com fertilizante;
- Em torno de 7 a 21 dias já pode colher;

Vale destacar que a produção de microverde não funciona como a tradicional, quando são cortadas elas não vão nascer novamente, é preciso realizar um novo plantio.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »