02/05/2022

Atos em comemoração ao 1º de maio levam às ruas apoiadores de Lula e Bolsonaro

Videos

As manifestações que marcaram os atos de 1º de maio neste domingo levaram às ruas os apoiadores do pré-candidato do PT à presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e do presidente Jair Bolsonaro (PL).
Em 26 capitais (todas do país, exceto Porto Velho), houve manifestações de apoio ao presidente.

Em São Paulo, o ex-presidente Lula participou de um ato organizado pelas centrais sindicais. No discurso, o petista disse que "alguém melhor" que o presidente Bolsonaro irá "ganhar as eleições" presidenciais deste ano.

No seu discurso, Lula criticou a inflação, defendendo que, durante sua gestão, o salário tinha reajuste real.

Em Brasília, O presidente Jair Bolsonaro foi a uma manifestação organizada por apoiadores e simpatizantes de seu governo na manhã deste domingo. O ato teve cartazes com pautas inconstitucionais, como pedido de intervenção militar e ataques ao STF. Bolsonaro não discursou.
Mais tarde, Bolsonaro apareceu em um vídeo gravado exibido a apoiadores em ato na avenida Paulista destinado a defender o deputado bolsonarista Daniel Silveira (PTB).

No vídeo divulgado, Bolsonaro afirmou que deve "lealdade" aos apoiadores e que tem um "governo que acredita em Deus, respeita as autoridades, defende a família e deve lealdade a seu povo".


BOLSONARO

O presidente Jair Bolsonaro (PL) gravou um vídeo exibido a apoiadores neste domingo (1º) em ato na avenida Paulista destinado a defender o deputado bolsonarista Daniel Silveira (PTB).
O parlamentar foi condenado pelo STF a 8 anos e 9 meses de prisão em regime fechado por ataques antidemocráticos a ministros, ao tribunal e à democracia. No dia seguinte à condenação, Silveira recebeu um perdão da pena do presidente Jair Bolsonaro, de quem é aliado.

No vídeo divulgado neste domingo (1º), Bolsonaro afirmou que deve "lealdade" aos apoiadores e que tem um "governo que acredita em Deus, respeita as autoridades, defende a família e deve lealdade a seu povo".
"É uma satisfação muito grande poder cumprimentá-los nesta manifestação pacífica com todas as idades em defesa da constituição, das famílias e da liberdade. Eu devo lealdade a todos vocês. Temos um governo que acredita em Deus, respeita as autoridades, defende a família e deve lealdade a seu povo. E eu irei onde vocês estiverem. Estarei sempre ao lado da população brasileira", disse o presidente.
Bolsonaro pretende concorrer à reeleição pelo PL. No vídeo, o presidente agradeceu sua eleição e disse: "Venceremos porque o bem sempre vence o mal".

Na manhã deste domingo, Bolsonaro foi a uma manifestação pró-governo em Brasília, mas não discursou.
O presidente encontrou manifestantes que estavam concentrados no gramado em frente ao Congresso Nacional, grande parte vestindo as cores verde e amarelo e carregando cartazes com frases de apoio ao presidente.


Os apoiadores também empunharam cartazes e emitiram falas em carros de som pedindo intervenção militar e fazendo ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF).
Bolsonaro foi de carro até as proximidades do ato e depois percorreu um trecho a pé até se aproximar dos apoiadores. Depois andou em um corredor que se formou entre os manifestantes. Cumprimentou os apoiadores e acenou. Em seguida, foi embora. A participação do presidente durou cerca de 10 minutos.


LULA

Em discurso realizado pela comemoração do 1º de maio , o pré-candidato do PT à presidência , Luiz Inácio Lula da Silva, pediu desculpa para os policiais por causa de uma fala em um evento de que participou no dia anterior, em São Paulo.
No sábado (30), Lula afirmou que o presidente Jair Bolsonaro "não gosta de gente, ele gosta de policial"

"Quando eu estava fazendo o discurso, eu queria dizer que o Bolsonaro só gosta de milícia, ele não gosta de gente. E eu falei que ele 'só gosta de polícia, não gosta de gente'. Eu quero aproveitar e pedir desculpas aos policiais desse país, porque muitas vezes cometem erros, mas muitas vezes salvam muita gente do povo trabalhador . Nós temos que tratá-los como trabalhadores", afirmou.

O ex-presidente participou de um evento na praça Charles Miller, em São Paulo, organizado pelas centrais sindicais, em homenagem ao Dia do Trabalho.

Por: Harley Pacola 
Link
Tags »
Mais Vídeos »
Comentários »